segunda-feira , julho 23 2018
Home / Esportes / De desacreditado a classificado, a trajetória até aqui

De desacreditado a classificado, a trajetória até aqui

Recém-promovido à série A do Paulistão, após dois anos na A2, o Bragantino passou de desacreditado à ‘zebra’. A equipe iniciou o campeonato já mostrando seu cartão de visitas e que não estava ali para apenas não cair. Bem postada e bem montada, venceu os dois primeiros jogos da competição, contra o Botafogo de Ribeirão Preto por 2×0 e o Santos por 1×0 em plena Vila Belmiro. Após os dois triunfos e com uma vitória e um empate do Ituano, o time caminhava para a classificação, que parecia certa, mas os ventos mudaram. A equipe conheceu três derrotas consecutivas (São Bento, 1×0; Palmeiras, 2×0; São Paulo, 1×0), e três empates (RB Brasil, 1×1; Mirassol, 0x0; Santo André, 1×1) e voltou a vencer apenas na nona rodada contra o Novorizontino por 2×1. Depois dessa vitória o time cresceu.
A boa atuação na Copa do Brasil, logo na estreia, e o segundo resultado positivo contra o Vitória, deram mais segurança à equipe e o Massa Bruta não perdeu mais no Paulistão. Na 10ª rodada venceu a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, em Campinas, por 1×0, empatou em 0x0 com a Ferroviária e com o São Caetano em 1×1, resultado que garantiu o Leão na próxima fase do estadual.
O Ituano que teve campanha idêntica à do Braga, apenas não se classificou pelo saldo de gols. A equipe de Itu marcou e sofreu 13 gols, com zero de saldo. Já o Braga marcou 9 e tomou 8, com saldo de 1 gol, o necessário para avançar à próxima fase.

Matheus Peixoto, autor de quatro dos nove gols do Braga, passou pela desconfiança, foi decisivo e caiu nas graças do torcedor
Matheus Peixoto, autor de quatro dos nove gols do Braga, passou pela desconfiança, foi decisivo e caiu nas graças do torcedor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *