segunda-feira , julho 23 2018
Home / Esportes / Com emoção e aflição, Braga se classifica

Com emoção e aflição, Braga se classifica

Na ensolarada tarde de domingo, 11, o Nabizão foi palco de muita emoção e também de aflição dentro e fora das quatro linhas. O Bragantino empatou com o São Caetano em 1×1 e se classificou para as quartas de final do Campeonato Paulista. Só o empate não era suficiente e o Braga necessitava de uma derrota do Ituano por 3 gols de diferença e ultrapassar o time de Itu no saldo de gols. E foi exatamente o que aconteceu: o Palmeiras venceu por 3×0, e foi protagonista de minutos de ansiedade por pelo menos três minutos e deixou os 5.310 torcedores em silêncio. Ligados em seus radinhos de pilha durante os 95 minutos de partida em Itu, vibrando a cada gol do Palmeiras, a torcida explodiu quando soou o apito final e soltou o grito de comemoração entalado desde o início do campeonato.
Não foram só os torcedores, pouco antes do término da partida do Braga, parte do banco de reservas já estava com os olhos grudados nos televisores do restaurante acompanhando a partida em Itu. Após o apito final e o empate, o presidente Marco Antonio Chedid, o vice-presidente Luiz Arthur Chedid e parte do elenco titular também foram à beira do gramado para assistir ao jogo.
Empate – Embora superior e sem dar espaços ao São Caetano, ao alvinegro das Pedras teve clara chance de abrir o placar, logo no início. Léo Jaime cruzou e William Schuster desperdiçou. O Braga tentava marcar para se tranquilizar e aos 11 minutos acabou dando uma oportunidade de contra-ataque para o time do ABC que foi fatal. O atacante Stéfano Yuri desceu pela esquerda, superou o zagueiro Lázaro e cruzou para Marino, que saltou mais alto que lateral Gerley para cabecear e marcar para o Azulão. Mas foi só. No restante da primeira etapa o São Caetano tentava furar o bloqueio imposto pelo Braga, que tinha seu meio campo um pouco desorganizado e não conseguia chegar com perigo.
Um fato, no entanto, alertou os atletas que a postura teria que mudar. Mesmo perdendo, parte da torcida começou a vibrar como se o Braga tivesse marcado um gol. Era o primeiro do Palmeiras sobre o Ituano. Essa comemoração deixou os jogadores do Braga aflitos e alertas, tentavam impor o jogo e chegar com perigo, mas não conseguiam. Após o fim do primeiro tempo, torcedores se reuniram nas grades para avisar o treinador Marcelo Veiga que o Palmeiras já vencia o time de Itu. O treinador pediu calma e disse que o time reverteria o placar na segunda etapa.
Ciente do resultado em Itu, o Braga voltou para o segundo tempo com garra e decidido a empatar e até mesmo virar o placar. E não demorou 5 minutos para o Braga empatar a partida. Willian Schuster cruzou na área e o oportunista Léo Jaime apareceu livre na segunda trave para mandar ao fundo das redes.
Após o gol, o Braga seguiu pressionando, mas não conseguia finalizar com precisão. Com o aviso que vinha das arquibancadas a cada gol do Palmeiras os times foram se acomodando e após o terceiro gol, até o banco começou a pedir calma para o elenco. A vontade era tanta, que o atacante Anderson Ligeiro entrou e acabou se machucando em menos de cinco minutos. Torceu o tornozelo durante uma disputa de bola no ataque. Com o empate favorável e com as equipes já classificadas, o árbitro Rafael Klauss apitou o fim da partida e deu início aos momentos de aflição dos torcedores e jogadores até o apito final no Novelli Júnior em Itu.

Léo Jaime  apareceu sozinho pela esquerda para marcar o gol do Braga
Léo Jaime apareceu sozinho pela esquerda para marcar o gol do Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *