quinta-feira , julho 19 2018
Home / Coluna da Gazeta / Frase: “Vai, com jeito vai, até que um dia a casa cai” (Cancioneiro popular)

Frase: “Vai, com jeito vai, até que um dia a casa cai” (Cancioneiro popular)

Paulo Alberti Filho

MARTÍRIO

O martírio das famílias atingidas por obras irregulares e até criminosas, sob o ponto de vista ambiental, costuma durar anos, décadas por causa da ineficiência do poder público e a morosidade da justiça brasileira. Um dos exemplos são as obras executadas na construção do posto Capivarão e do prédio onde funciona a Telha Norte, edificados pela empresa João Rubens Valle no passado, no entorno do Jardim Santa Helena, que hoje são objetos de uma interminável ação judicial. Essa ação movida por uma das vítimas das enchentes ocasionadas pelas obras já tem sentença da justiça para seu desfazimento.
A questão agora é quem vai cumprir a sentença, cujas obras estão estimadas em mais de R$ 800mil. A justiça deu prazo de 180 dias para a Prefeitura desfazer o mal feito. A Prefeitura por sua vez deu prazo de 90 dias para o proprietário cumprir a sentença do juiz.
Esse prazo de 90 dias deverá começar a contar a partir de segunda-feira, dia 12, quando o proprietário será notificado, segundo garantiu uma fonte do Palácio Santo Agostinho, sede da Prefeitura.
A mesma fonte afirmou que se vencido o prazo de 90 dias, a empresa não desfazer o mal feito, a Prefeitura irá executar a obra e mandar a conta para o proprietário causador da tragédia.
Vamos aguardar e acompanhar.

ZONA NORTE

Bragança ao longo dos últimos anos, em termos de expansão imobiliária e uso indevido do solo, tem sido terra de ninguém. Empreendimentos que desrespeitam as leis e usam propaganda enganosa para divulgação, invasão de áreas públicas de proteção permanente de forma acintosa às vistas de todos, continuam prosperando impunemente. Semana passada a Gazeta publicou matéria sobre o cerco de uma área pública na Planejada 2, conforme delimita a planta do loteamento. Onde deveria ser uma avenida marginal estão construídos muros e prédios. Nesse aspecto, infelizmente, Bragança continua no roça.

CÂMARA

Com todos os problemas que estão vindo a luz da opinião pública, principalmente sobre abandono de obras, como a reforma da praça central; usurpação de áreas públicas, o caso assombroso das enchentes no Santa Helena, etc, percebe-se que os 19 vereadores estão silentes. Alguns deles estão preocupados em praticar o assistencialismo e outras funções estranhas as de vereador e acabam por esquecer de ser o fiscal do povo. Mais uma vez, infelizmente, está difícil esquecer o “Tamo na Roça”.

SEGURANÇA EM OBRAS

Dia desta semana, repórter da GB flagrou trabalhadores da construção civil em andaimes precariamente improvisados e sem nenhum equipamento de segurança, como luvas, botas e capacetes. Geralmente são trabalhadores de empresas privadas que prestam serviços em obras públicas.
Não há em Bragança um braço do sindicato da construção civil que possa amparar e proteger esses trabalhadores de eventuais acidentes que, quando ocorrem, tem consequências gravíssimas.

BRAGANTINO

O nosso querido Bragantino está chegando na cabeceira do Campeonato Paulista e desempenhando uma excelente atuação na Copa do Brasil. Amanhã briga por vaga nas quartas de final do Paulistão em jogo que será emocionante contra o São Caetano. Um jogo de decisão de campeonato.
Depois do retorno de Marcelo Veiga, o elenco do Braga tem conseguido os resultados pela forma e estilo próprios de Veiga. O sucesso dessa temporada no Paulistão, entre as quatro linhas do gramado, tem que ser creditado ao estilo de Veiga e a eficiência dos atletas. Não acredito que sem Veiga o Braga chegasse onde chegou nessa temporada. Parabéns!

TEMPORADAS

Em abril começa a temporada de lazer e eventos populares que deverão distrair a opinião pública para muitos problemas que afetam o brasileiro. Além do futebol regional que já movimenta as torcidas, teremos por aqui, a festa do peão, depois a Copa do Mundo e em seguida as eleições para presidente, senador, governador e deputados estadual e federal. Que Deus nos ajude!

REFLEXÃO: Salmo –74:1-23

1- Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas do teu pasto?
2- Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antiguidade; da vara da tua herança, que remiste; deste monte Sião, em que habitaste.
3- Levanta os teus pés para as perpétuas assolações, para tudo o que o inimigo tem feito de mal no santuário.
4- Os teus inimigos bramam no meio dos teus lugares santos; põem neles as suas insígnias por sinais.
5- Um homem se tornava famoso, conforme houvesse levantado machados, contra a espessura do arvoredo.
6- Mas agora toda obra entalhada de uma vez quebram com machados e martelos.
7- Lançaram fogo no teu santuário; profanaram, derrubando-a até ao chão, a morada do teu nome.
8- Disseram nos seus corações: Despojemo-los duma vez. Queimaram todos os lugares santos de Deus na terra.
9- Já não vemos os nossos sinais, já não há profeta, nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará.
10- Até quando, ó Deus, nos afrontará o adversário? Blasfemará o inimigo o teu nome para sempre?
11- Porque retiras a tua mão, a saber, a tua destra? Tira-a de dentro do teu seio.
12- Todavia Deus é o meu Rei desde a antiguidade, operando a salvação no meio da terra.
13- Tu dividiste o mar pela tua força; quebrantaste as cabeças das baleias nas águas.
14- Fizeste em pedaços as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
15 Fendeste a fonte e o ribeiro; secaste os rios impetuosos.
16- Teu é o dia e tua é a noite; preparaste a luz e o sol.
17- Estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno tu os formaste.
18- Lembra-te disto: que o inimigo afrontou ao Senhor e que um povo louco blasfemou o teu nome.
19- Não entregues às feras a alma da tua rola; não te esqueças para sempre da vida dos teus aflitos.
20- Atende a tua aliança; pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios de moradas de crueldade.
21- Oh, não volte envergonhado o oprimido; louvem o teu nome o aflito e o necessitado.
22- Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o louco te faz cada dia.
23- Não te esqueças dos gritos dos teus inimigos; o tumulto daqueles que se levantam contra ti aumenta continuamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *