quinta-feira , julho 19 2018
Home / Coluna da Gazeta / Frase: “Sabemos o que somos, mas não sabemos o que poderemos ser.” (William Shakespeare)

Frase: “Sabemos o que somos, mas não sabemos o que poderemos ser.” (William Shakespeare)

Paulo Alberti Filho

CARNAVAL-1

Deu Dragão de novo. E assim será sempre se as outras escolas não procurarem profissionalizar a estrutura para melhorar o nível da montagem de enredo. Detalhes são os mais importantes quesitos para classificar ou derrubar uma escola de samba. Por outro lado, sempre haverá a suspeita que recai sobre jurados desde que se instituiu o campeonato entre as escolas. Aos olhos do povo vale a beleza e a harmonia do conjunto da obra. Vencer ou perder é uma questão de vaidade, porque o importante é levar a mensagem do enredo na fidelidade de sua origem. Parabéns a todas as escolas de samba que fizeram o espetáculo neste ano.

CARNAVAL -2

Apesar das dificuldades financeiras herdadas do governo do PT, a administração do prefeito Jesus e vice Amauri (DEM) resgatou, pelo segundo ano consecutivo, a grandeza do carnaval bragantino. Prova disso foi a presença marcante de milhares de pessoas na passarela Chico Zamper e nas praças públicas. Estima-se que um terço da população participou dos festejos de momo. Não adianta protestar, achar defeito em tudo e maldizer os eventos populares, como carnaval e festa do peão de Bragança promovidos pelo governo Jesus, como fazem as aves de agouro a cada sucesso desses eventos que foram e são notabilizados para o estado e para o Brasil pelas suas grandezas de organização e valor cultural, que enaltecem o nome e a tradição de nossa cidade.

ELEIÇÕES

Falando em vaidade, na política esse fator destrói mais do que constrói. Neste ano teremos eleições de deputados, senador, governador e presidente da República. Em Bragança certamente deverá aparecer candidatos que em uma eleição para vereador dificilmente se elegeria. Mas a vaidade, o desejo de aparecer e atrapalhar são mais fortes que o objetivo de trabalhar para melhorar a situação do Estado e do município. Assim tem sido também nas eleições anteriores.
Bragança e região ainda são privilegiadas por contarem com o deputado Edmir Chedid (DEM), não só pela tradição política de seu grupo, pelo que produz e beneficia as cidades da região bragantina e do Circuito das Águas, mas também pelo prestígio junto ao governador e aos deputados federais que carreiam milhões em verbas para vários municípios.
Acredito que todas pessoas que olham para a cidade como um bem comum devem torcer para que Edmir seja reeleito mais uma vez e evitar que aventureiros saídos do nada tentem solapar um espaço de um político que tanto bem vem fazendo para a população. Tivemos recentemente um exemplo de aventureiros que, ao assumirem os poderes municipal e federal, destruíram o Brasil e a nossa cidade.

O BRAGA

As vezes a gente fica indignado quando o Bragantino perde ou joga mal. Esse sentimento de torcedor é normal porque nós só queremos ver o nosso time vencer. Esquecemos que por trás dos 11 atletas em campo, está uma estrutura cuja manutenção não é para qualquer um. Futebol hoje em dia é uma empresa e tem que ser assim. Mas dirigir uma empresa de futebol, não é como gerenciar o boteco da esquina. Necessário profissionais habilidosos, em campo e fora dele, além de um presidente que entenda muito mais que um mero torcedor e nisso o Bragantino é privilegiado por ter uma diretoria presidida pelo Marquinho Chedid com a efetiva e eficiente atuação de seu filho Luiz Arthur Chedid, esse jovem valoroso que segue com paixão o amor pelo Braga herdado da família e do eterno presidente, seu avô saudoso Nabi Abi Chedid.
Disputando dois campeonatos importantes do país, o Paulistão e a Copa do Brasil, segue desempenhando bom papel e projetando nossa cidade. Parabéns à diretoria, ao grupo de atletas e comissão técnica que vem honrando as tradições do nosso glorioso Massa Bruta.

MEIO AMBIENTE

O recém nomeado secretário do Meio Ambiente, Alessandro de Moraes foi chefe de divisão do setor durante o governo Jango, assessorando o ex- secretário prof. Joaquim de Oliveira, considerado um dos grandes conhecedores da legislação ambiental. O novo secretário também tem experiência como perito judicial na área do meio ambiente. Tem tudo para dar certo, apesar de alguns problemas ambientais decorrerem da passividade que beirou a prevaricação de governos anteriores e hoje atormentam a cidade e o Ministério Público. Se o novo secretário tiver estrutura de pessoal e de instrumentos para desenvolver sua missão, Bragança estará bem servida nessa área, porque escola e conhecimento para ser um bom secretário o recém nomeado tem. Boa sorte!

CEASINHA

Uma verba de R$4milhões destinada pelo deputado federal Paulinho da Força será investida na construção de entreposto de abastecimento na zona norte, onde funciona hoje o Ceasinha. Não conheço o projeto porque a Prefeitura ainda não divulgou, mas os produtores de Bragança, região e sul de Minas esperam que seja uma edificação que permita aos produtores armazenar seus produtos com segurança para evitar que a cada dia tenham de voltar para casa com a sobra do que não foi comercializado.

REFLEXÃO. SALMOS 105- 1:45

1 Louvai ao SENHOR, e invocai o seu nome; fazei conhecidas as suas obras entre os povos.
2 Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; falai de todas as suas maravilhas.
3 Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração daqueles que buscam ao Senhor.
4 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente.
5 Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca;
6 Vós, semente de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos.
7 Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra.
8 Lembrou-se da sua aliança para sempre, da palavra que mandou a milhares de gerações.
9 A qual aliança fez com Abraão, e o seu juramento a Isaque.
10 E confirmou o mesmo a Jacó por lei, e a Israel por aliança eterna,
11 Dizendo: A ti darei a terra de Canaã, a região da vossa herança.
12 Quando eram poucos homens em número, sim, mui poucos, e estrangeiros nela;
13 Quando andavam de nação em nação e dum reino para outro povo;
14 Não permitiu a ninguém que os oprimisse, e por amor deles repreendeu a reis, dizendo:
15 Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.
16 Chamou a fome sobre a terra, quebrantou todo o sustento do pão.
17 Mandou perante eles um homem, José, que foi vendido por escravo;
18 Cujos pés apertaram com grilhões; foi posto em ferros;
19 Até ao tempo em que chegou a sua palavra; a palavra do Senhor o provou.
20 Mandou o rei, e o fez soltar; o governador dos povos, e o soltou.
21 Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda;
22 Para sujeitar os seus príncipes a seu gosto, e instruir os seus anciãos.
23 Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão.
24 E aumentou o seu povo em grande maneira, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos.
25 Virou o coração deles para que odiassem o seu povo, para que tratassem astutamente aos seus servos.
26 Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera.
27 Mostraram entre eles os seus sinais e prodígios, na terra de Cão.
28 Mandou trevas, e a fez escurecer; e não foram rebeldes à sua palavra.
29 Converteu as suas águas em sangue, e matou os seus peixes.
30 A sua terra produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis.
31 Falou ele, e vieram enxames de moscas e piolhos em todo o seu termo.
32 Converteu as suas chuvas em saraiva, e fogo abrasador na sua terra.
33 Feriu as suas vinhas e os seus figueirais, e quebrou as árvores dos seus termos.
34 Falou ele e vieram gafanhotos e pulgão sem número.
35 E comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos.
36 Feriu também a todos os primogênitos da sua terra, as primícias de todas as suas forças.
37 E tirou-os para fora com prata e ouro, e entre as suas tribos não houve um só fraco.
38 O Egito se alegrou quando eles saíram, porque o seu temor caíra sobre eles.
39 Estendeu uma nuvem por coberta, e um fogo para iluminar de noite.
40 Oraram, e ele fez vir codornizes, e os fartou de pão do céu.
41 Abriu a penha, e dela correram águas; correram pelos lugares secos, como um rio.
42 Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo.
43 E tirou dali o seu povo com alegria, e os seus escolhidos com regozijo.
44 E deu-lhes as terras dos gentios; e herdaram o trabalho dos povos;
45 Para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *