quarta-feira , abril 25 2018
Home / Cidade / Negligência sucateou 113 veículos da Prefeitura entre 2013 e 2016

Negligência sucateou 113 veículos da Prefeitura entre 2013 e 2016

Sindicância responsabiliza ex-secretário municipal de Serviços Moufid Doher e Márcia Almeida Izzo, ex-chefe da Divisão de Patrimônio Mobiliário pelo sucateamento de 113 veículos da frota municipal. Os prejuízos em valores reais ainda não foram divulgados, mas quando da instauração da sindicância avaliava-se que seria de aproximadamente R$ 25 milhões.
O relatório foi divulgado ao público pela assessoria do Palácio Santo Agostinho, prefeitura, na tarde dessa quarta-feira, 10. Entre os veículos destruídos estão, ambulâncias, viaturas, caminhões, máquinas pesadas e outros de propriedade do Município. No relatório, a Comissão pontua que diante das apurações segundo documentos e depoimentos de funcionários é possível delimitar que o sucateamento ocorreu no período de 2013 a 2016.
“Os servidores informaram que no início da gestão 2013/2016, havia um estoque de peças mas que não houve reposição e as peças acabaram. Afirmaram que o Chefe da Divisão de Manutenção e Controle de Frota determinava que os servidores da “Garagem” tirassem peças de carro, que na maioria tinha condição de uso, para colocar em outros, e estes veículos com a retirada das peças passavam a sucatas”, diz o relatório.
O chefe da Divisão de Manutenção e Controle de Frota no período era Carlos Segundo Cofre Neira, que trabalhava sob a subordinação do Secretário Municipal de Serviços Moufid Doher. “A sindicância conclui então que a responsabilidade do Secretário de Serviços é cristalina, em razão de que o sucateamento presumivelmente não ocorreu da noite para o dia e que a sede da Secretaria Municipal de Serviços está localizada no interior da Garagem Municipal o que facilitaria em muito a percepção do processo de deterioração da frota pelo então Secretário de Serviços”, constata.
Sobre a responsabilidade da ex-chefe da Divisão de Patrimônio Mobiliário, Márcia Izzo, no cargo atpe 28 de dezembro de 2016, o relatório a indica com responsável pelo sucateamento da frota “por não ter exercido as funções de competência definidas por lei, notadamente, no que tange à proteção e a manutenção de bens móveis da Prefeitura, no registro das transferências dos bens móveis de setor para setor, bem como na manutenção dos registros de saída e entrada dos bens móveis que forem para a manutenção”, complementa.
Na conclusão do relatório, a Comissão Sindicante sugeriu o envio ao Ministério Público para providências quanto aos indícios de atos de improbidade administrativa, bem como o envio para a Polícia Civil para investigação, em tese, de crime no desaparecimento de motores e peças dos veículos.
A Chefia de Gabinete já determinou o levantamento do valor de mercado dos veículos sucateados para se estimar o montante do prejuízo do Município.

Os veículos transformados em ferro velho estão, na maioria, depositados num terreno da Prefeitura localizado no Jd. da Fraternidade
Os veículos transformados em ferro velho estão, na maioria, depositados num terreno da Prefeitura localizado no Jd. da Fraternidade
Entre os veículos ambulâncias, viaturas e caminhões pequenos
Entre os veículos ambulâncias, viaturas e caminhões pequenos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *