Na quinta-feira, 17, a Prefeitura distribuiu cerca de 15 mil ovos de páscoa aos alunos da Rede Municipal de Educação. A vice-prefeita, Professora Huguette,
"Mais importante que o fato é a notícia do fato"
DIRETOR RESPONSÁVEL: PAULO ALBERTI FILHO
Cotidiano Esportes Policial Saúde Educação Editorial Cultura Colunas GB Norte
assine | contato
Pouco antes do início da sessão ordinária de terça-feira, 16, o prefeito Fernão Dias (PT) encaminhou ofício à Câmara Municipal pedindo o adiamento da votação em  segundo turno do Projeto de Lei nº 19/2014, sobre a Planta Genérica de Valores, que constava na pauta de votação desta semana. O prefeito pediu a inclusão do projeto  na pauta do dia 23 de setembro, ocasião na qual está programada a votação do Projeto de Lei Complementar nº 14/2014, sobre o Código Tributário. A justificativa do  prefeito para o adiamento é “porque ambos os projetos foram elaborados e discutidos concomitantemente”.   Em primeiro turno, na sessão da semana passada, o projeto da Planta Genérica foi aprovado por 13 votos contra cinco. Conforme a GB noticiou na terça-feira, a  aprovação gerou várias reações de diversos segmentos da sociedade e a segunda votação pode provocar debates.  Em primeiro turno votaram a favor: Rita Valle, Rafael Oliveira, Antonio Bugalu, Juzemildo, Fabiana Alessandri, Dito do Ônibus, Luiz Sperendio, Léo Arantes, Mário B.  Silva, Gabriel Cintra Gonçalves, Natanael Ananias, Valdo Rodrigues e Noy Camilo.   Votaram contra: Gislene Bueno, Miguel Lopes, Paulo Mário, Jorge do Proerd e Marcus Valle.  CÓDIGO TRIBUTÁRIO- A Comissão Especial de Estudos sobre o Código Tributário se reuniu na segunda-feira, 15, para deliberar a elaboração da nova redação do  projeto.  Segundo o relatório apresentando sobre a nova redação, a comissão promoveu as alterações impostas pela aprovação das seis emendas votadas dia 9 de setembro, e  realizou as correções indicadas na conferência prévia feita pelo Departamento Legislativo da Câmara, bem como outras adequações sobre o texto original.  A nova redação elaborada pela Comissão Especial foi colocada em votação, sendo aprovada por unanimidade. Segundo o trâmite legal, a nova redação deve passar  pela Comissão de Justiça, Redação, Defesa do Meio Ambiente e do Consumidor, que avaliará a legalidade e posteriormente ser votada em segundo turno.  Leia matéria na integra
Sessões da Câmara serão transmitidas pela TV Alesp
A partir da próxima terça-feira, 23, as sessões ordinárias da  Câmara Municipal serão transmitidas ao vivo pelo canal 5 da TV  Alesp, da operadora Net. Segundo o presidente da Casa,  vereador Tião do Fórum, o horário das 16 às 20h está garantido.  Informou ainda que as sessões devem começar sem atraso e  terminar até às 20h.  “Este é um passo importante para atender ao preceito  constitucional da publicidade dos atos e ações desta Casa. Esta  conquista foi realizada a um custo praticamente zero e  infinitamente inferior ao da instalação de um canal próprio de TV  aberta”, ressaltou o presidente.    Segundo estudo da Anatel realizado no mês de junho deste  ano, 72% dos domicílios de Bragança possui TV por assinatura,  o que representa 29.059 assinantes. De setembro de 2013 a  junho de 2014, o número de assinantes do serviço na cidade  cresceu 16,3%. Bragança está com índice acima da média no  Estado de São Paulo, que é de 55,3% dos domicílios com TV  por assinatura.   Tião do Fórum também informou que negocia com a TV Vivo  para que seja mais uma operadora a oferecer as sessões da  Câmara em sua programação.   O espaço ocupado pela Câmara na TV Alesp será  progressivamente aumentado, passando a oferecer a  transmissão de outros eventos da casa e novos programas.   Amanhã será realizado o pregão para escolha da empresa que  fará o novo site do legislativo.  
Nível cai para 8,9%, próximo ao pré-volume morto
O nível do Sistema Cantareira, que abastece parte da Grande São Paulo, passou de 9,1% (registrado  na última segunda-feira) para 8,9% da capacidade e chega próximo ao patamar anterior ao uso da  primeira fase do chamado volume morto. Quando a reserva estratégica começou a ser utilizada há  quatro meses, em 16 de maio deste ano, o nível estava em 8,2%. Já o Sistema Alto Tietê também  abaixou 0,2% e agora opera com 13,3% de capacidade. A represa do Guarapiranga registrou 54,4%,  o que implica em uma queda de 0,2% em comparação com o dia anterior.  Isso significa que quase todos os 182,5 bilhões de litros adicionais que se tornaram disponíveis com o  aprofundamento do sistema de captação, segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do  Estado de São Paulo), foram consumidos e não houve reposição. As chuvas no período foram  insuficientes para ao menos repor a água consumida. A Sabesp já se prepara para usar a segunda  fase do volume morto — a autorização para essa captação já foi dada pela ANA (Agência Nacional de  Águas). De acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), a tendência é que a chuva neste  mês fique dentro da média esperada, de 67,6 mm. Mesmo com o aumento da umidade, setembro  ainda é considerado um mês de estiagem. As mudanças climáticas ocorrem principalmente pela  chegada da primavera. 
Sistema Cantareira